"Não importa o quanto tente, não importa o que escolha, tudo dará errado, por que o erro sou eu..."

Minha história de como comecei a assistir Dexter foi bem diferente. Passei em uma livraria e me encantei com a capa de um livro: "Dexter - A mão esquerda de Deus". Chamei o vendedor e ele começou a me dizer que se tratava da história de um psicopata um pouco diferente. Resolvi levar o livro e ele me perguntou se eu já tinha assistido a série. Eu disse que nem sabia que existia, então ele me indicou e o resultado foi: me apaixonei por Dexter Morgan.


Baseada na obra de Jeff Lindsay, "Darkly Dreaming Dexter", a série tem como protagonista um especialista forense em amostras de sangue, que trabalha para o Departamento de Polícia de Miami. Ele também é um assassino serial que mata as pessoas que a polícia não consegue prender. A dupla identidade tem de ser escondida de todos, incluindo sua irmã e companheiros de trabalho. Na infância, órfão aos quatro anos, Dexter é adotado por um policial que logo detecta sua tendência homicida. Com isso, consegue canalizar todo o fascínio de Dexter por vivissecção para algo que ele acredita ser "do bem": caçar os infratores da lei que estão acima da justiça e que acham brechas para praticar crimes. De dia, Dexter surpreende a todos conseguindo rastrear cada passo de assassinos em série, seguindo suas pistas com meticulosidade assustadora. Isso porque sua mente assassina o guia através dos passos dos criminosos. Após o dia de trabalho com o Departamento de Polícia de Miami, à noite, Dexter usa todo o conhecimento e instinto de serial killer para achar e matar os criminosos que ele caçou durante o dia. Isso faz com que ele viva um contraste diário entre o bem e o mal. Mas ele canaliza toda a sua vontade de matar para acabar com os outros assassinos em série. 



A terceira temporada foi a única da série que não gostei muito. Achei muito fraca e sem ação e criatividade, porém as demais fazem com que a gente fique cada dia mais viciada. Dexter é encantador e sua personalidade nos faz se apaixonar pelo fato do tipo diferente de psicopata que ele é. Começamos a torcer para ele pegar algumas pessoas, começamos a sofrer com alguns momentos em que ele passa, e o melhor: adotamos o Harrison pra gente ♥ Como não amar aquele pequeno Morgan de cabelos loiros!



O final, claro, Dexter sempre teve seu plano de fuga e o colocou em prática. Que morrer, que nada! Agora ele mora em outro país, trabalha com madeiras e ninguém sabe mais de sua existência. 

Achei que o final poderia ser diferente, mas acredito que na essência da série ele mudou de pessoa, mas não mudou seu vício. Também senti que o último capítulo aconteceu no atropelo, sem dar final aos personagens secundários. O que aconteceu com Quinn em sua “viuvez”? E Jamie? Como ficou a história do sumiço do corpo de Debra para seus amigos? Muita coisa sem responder e uma frustração que deve ter ficado em muitos fãs. Mas Dexter acabou. Foi uma boa e intrigante série. Só que com um final não muito agradável. Mas não há como não amar Dexter Morgan ♥

Até mais!

Imagens: Google Imagem







3 Comentários

  1. Eu tentei começar a assistir Dexter há muitos anos, mas acabei que não consegui assistir muitos episódios. Acho a série genial e ela ainda está na minha lista para assistir em breve. Mas agora depois de ler seu post... Já to pensando em começar hoje mesmo hahaha

    Beijos!
    www.crescendoemflor.com

    ResponderExcluir
  2. Passei só pra avisar que eu comecei a assistir Dexter. E que eu não quero mais parar de assistir até terminado todas as temporadas de uma vez. Adeus trabalho, adeus vida social. Olá Dexter ^^

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahahahaha que massa!!!! Apaixonou mesmo hein?
      Que bom :*

      Excluir

Seu comentário é sempre bem vindo!
Comente, opine, se expresse. Esse espaço é seu!
Espero que tenha gostado do blog e volte sempre!